30 de junho de 2022
Redação Alternativa

Agora é lei! A empresa precisa divulgar o preço de venda à vista

Até pouco tempo atrás, as lojas podiam passar o preço de venda à vista, apenas quando um cliente mostrava interesse em adquirir um produto e serviço. 

No entanto, desde que a Lei nº 13.543, de 19 de dezembro de 2017, entrou em vigor, as coisas mudaram. E, agora, as empresas de comércio eletrônico são obrigadas a divulgar o preço à vista para todos os consumidores.

Neste post, veremos em detalhes do que trata a Lei nº 13.543, o que isso vai mudar para as varejistas e o que a sua empresa pode fazer para se adequar à norma o quanto antes e não infringir a lei.

Preparado? Então, vamos lá… 

O que trata a Lei nº 13.543?

A Lei n° 13.543 entrou em vigor dia 19 de dezembro de 2017 para alterar a Lei nº 10.962, de 11 de outubro de 2004. Sua finalidade está em regulamentar as condições sobre as informações apresentadas ao consumidor digital quanto à compra de produtos e serviços. 

Além disso, informar a obrigatoriedade de as empresas do comércio eletrônico divulgarem o preço à vista na hora de mostrar suas mercadorias.

Era bastante comum o cliente ter acesso a essa informação apenas quando perguntava diretamente ao vendedor. O famoso “chama no direct” ou “preço por inbox”, como muitos conhecem.

Porém, com tantos casos de golpes ocorrendo por todo o mundo, o governo precisou tomar medidas para resguardar os usuários que compram pela internet. 

O que muda para as varejistas?

Com a Lei n°13.543, o governo espera reduzir as chances de o consumidor ser ludibriado ou confundido pelas empresas fornecedoras do produto ou serviço.

Assim, o que muda para as varejistas de loja física, e-commerce e lojistas que comercializam seus produtos no WhatsApp, é que agora qualquer item à venda no meio digital precisa ser divulgado juntamente com o preço, informações e imagens. Para assim garantir total transparência ao cliente.  

6 dicas para se adequar e não infringir a Lei nº 13.543lei

O não cumprimento da norma pode ocasionar penalizações severas para o empresário, tais como multa, suspensão de fornecimento de produtos ou serviços e até suspensão temporária das atividades.

Para que a sua empresa não corra o risco de sofrer com essas penalidades, preparamos 6 dicas bem simples para se adequar a norma e não infringir a Lei nº 13.543. Confira! 

1- Deixe o preço à vista bem visível

Nossa primeira dica não poderia ser outra senão deixar o preço à vista bem visível para todos os consumidores. Use cores vibrantes, aumente a numeração da letra, deixe o valor em negrito, escolha uma boa fonte, enfim… 

Faça tudo que puder para deixar o preço destacado, de tal forma que essa informação esteja sempre legível em qualquer dispositivo.   

2- Acrescente informações sobre os produtos nas especificações

Além de destacar o preço, não esqueça de oferecer todos os detalhes sobre o produto ou serviço nas especificações. Acrescente informações sobre cores, tamanhos, peso e características, entre outros. Tente descrever o máximo de dados possível para que o seu consumidor realmente saiba o que está comprando.  

3- Esclareça se no preço está incluso no valor do frete

Outra dica interessante é especificar se no preço à vista já está incluso o valor do frete. Muitas empresas que trabalham com e-commerce colocam um campo específico para calcular o preço do transporte, e ele geralmente fica abaixo do preço. 

Mas, se você comercializa os produtos e serviços por redes sociais, por exemplo, você pode inserir essa informação à parte, juntamente com o preço e a descrição da mercadoria.  

4- Explique o funcionamento de devolução do pedido

Pode ser que o cliente não goste do seu produto ou se sinta lesado após fazer a compra. Assim sendo, para evitar confusão ou qualquer tipo de transtorno desnecessário no futuro, explique como funciona o processo de devolução do pedido. 

Também, descreva qual é o período máximo para fazer a devolução e, se possível, o passo a passo para que o cliente saiba como fazer o procedimento. 

5- Mostre prazos de validade e origem do produtos 

Informação nunca é demais, ainda mais se elas vão proteger o seu negócio contra qualquer tipo de problema relacionado ao cliente. 

Assim como as especificações do produto ou serviço, os dados sobre o frete e o processo de funcionamento para devoluções, acrescente também prazos de validade, origem e até mesmo principais funcionalidades da mercadoria.

6- Publique uma boa foto

As imagens podem ser usadas para atrair a atenção do consumidor e motivá-lo a fechar negócio. No entanto, se a foto não mostrar o produto como ele realmente é, isso pode trazer uma série de problemas no futuro.

Ou seja, além de deixar o preço à vista destacado, inserir todas as informações e esclarecer dados sobre o frete, publique uma foto que seja clara e que mostre todas as características do produto.  

 

Preparado para atualizar o seu site ou página para e-commerce e vender todas as suas mercadorias com segurança?  

Se você gostou do conteúdo, convidamos para que leia também nosso post sobre “Como o ERP pode ajudar na conformidade em LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados)”.