15 de setembro de 2021
Redação Alternativa

gestao-financeira-no-e-commerce-porque-e-como-fazer---Alternativa-Sistemas

Mesmo em tempos incertos, a expansão do e-commerce brasileiro é crescente.

De acordo com projeção da E-bit | Nielsen, para 2021 o setor deve atingir 26% de crescimento, alcançando um faturamento de R$ 110 bilhões.

Para empresas do segmento, o desafio é manter uma estratégia consistente focada em resultados. Neste sentido, um dos aspectos centrais para manter a sustentabilidade de uma loja virtual é a gestão financeira estratégica.

Com essa abordagem é possível garantir um melhor controle dos gastos e dos lucros, além da manutenção de um fluxo de caixa saudável, que permita o crescimento sustentável dos negócios.

Para otimizar a gestão financeira para e-commerce, a tecnologia é uma das principais aliadas do gestor. O investimento em um sistema de gestão para e-commerce, por exemplo, torna o gerenciamento financeiro mais eficiente, garantindo controle operacional, fortes estratégias e decisões acertadas.

Neste post, mostramos por que a gestão financeira para e-commerce é importante e como você pode conduzir esse tipo de estratégia de um jeito prático e simples.

Gestão financeira para e-commerce: o que é e como começar?

Para o sucesso de uma loja virtual, a gestão financeira para e-commerce é indispensável. Basicamente, consiste em administrar as finanças da empresa, com foco voltado para a obtenção de resultados e o aumento da lucratividade.

Em síntese, a gestão financeira é o processo de planejamento, controle, acompanhamento e análise das finanças do e-commerce. É a partir de uma gestão precisa dos recursos financeiros que a empresa tem condições de se manter competitiva e crescer gradativamente.

A gestão financeira no e-commerce consiste em planejar, analisar e controlar as finanças com práticas, ações e uma rotina bem definida. Dessa maneira, é possível  não só otimizar a administração da loja virtual, mas também maximizar os lucros.

Na prática, o desafio é fazer a gestão dos investimentos, despesas variáveis e fixas, lucros, financiamentos, empréstimos e do valor patrimonial da empresa.

Para garantir uma estratégia de gestão financeira eficiente e eficaz, é importante que a empresa adote uma série de processos, ferramentas e métodos.

Veja algumas boas práticas que podem orientar a gestão financeira para e-commerce:

  • Controle do fluxo de caixa: permite o acompanhamento de todas as despesas e receitas;
  • Controle de contas a pagar e a receber: com cumprimento de todos os prazos;
  • Planejamento financeiro: com definição de metas, objetivos e análise de resultados;
  • Planejamento tributário: com adoção de estratégias lícitas para redução de encargos, como elisão fiscal e revisão tributária;
  • Avaliação do desempenho econômico: a partir da análise de demonstrações contábeis;
  • Análise de investimentos: para avaliar o retorno sobre investimentos já feitos e melhorar a tomada de decisão no futuro.

O principal objetivo é estabelecer uma estratégia de gestão financeira que seja assertiva, segura e ofereça potencial competitivo e de crescimento para o negócio em um mercado altamente disputado.

Por que a gestão financeira é tão estratégica?

Muito além das funções de contas a pagar e a receber ou do controle de caixa, a gestão financeira para e-commerce tem um papel importante porque permite implementar ações estratégicas que tragam melhores resultados para a empresa.

Além de manter o saldo sempre no azul e evitar prejuízos para o e-commerce, a gestão financeira é a base de um bom planejamento orçamentário, orientado por análises baseadas em dados e projeções para o futuro.

O gestor da loja virtual deve ter em mente que a gestão financeira estratégica é tão importante quanto a abordagem operacional. Em síntese, a gestão consiste em planejar as finanças e controlar o orçamento, definir metas, coletar e analisar dados, monitorar os resultados.

Em outras palavras, podemos dizer que a gestão financeira para e-commerce orienta a empresa para que ela tenha condições de alcançar seus objetivos.

Nesta estratégia, uma das prioridades do gestor é fortalecer a estratégia de gestão contábil, tornando-a mais simples, prática e menos burocrática.

Com o gerenciamento financeiro e fiscal bem alinhados, é possível:

  • Garantir o cumprimento dos deveres tributários e fiscais;
  • Melhorar o controle financeiro e de fluxo de caixa das movimentações da sua empresa;
  • Ter uma visão ampla da situação financeira e dos resultados;
  • Otimizar o processo de tomada de decisão com base em dados.

Gestão financeira: conheça os principais indicadores

A gestão financeira para e-commerce é orientada por vários indicadores que formam a base para a tomada de decisão dos gestores.

Os números indicam se a empresa está conseguindo gerar caixa suficiente para cobrir seus custos e dar lucro, se o retorno sobre os investimentos é o ideal, se a precificação dos produtos ou serviços está correta, além de permitir outras avaliações.

Conheça os principais indicadores da gestão financeira para e-commerce:

1. Faturamento

 É o indicador que permite mensurar a saúde financeira do negócio. É a soma de todos os valores obtidos com as vendas de produtos na loja virtual em um determinado período, geralmente mensal ou anual.

2. Lucro Bruto

 O lucro bruto é a receita total da empresa menos os custos diretos e indiretos ligados à produção dos bens ou serviços.

Lucro bruto = Receita total – Custos relacionados à produção

3. Lucro Líquido

 Depois de calculado o lucro bruto (receita – custos relacionados à produção), é preciso deduzir as despesas fixas e variáveis, para encontrar o lucro líquido.

Lucro líquido = Receita total – Custos e despesas totais

O lucro líquido mostra quanto dinheiro realmente sobrou para o empreendedor depois de subtrair todos os gastos possíveis do faturamento.

4. Ponto de equilíbrio (break even point)

 O número aponta o momento em que a receita líquida da empresa é exatamente igual à soma dos custos e despesas, ou seja, quando o lucro líquido é igual a zero.

Na prática, indica o quanto a empresa precisa vender para manter sua operação sem nenhum prejuízo.

5. Margem de lucro

 A margem de lucro é a porcentagem que o empreendedor adiciona aos custos totais de um produto ou serviço, definindo o quanto pretende lucrar sobre cada venda.

Ela é imprescindível na formação de preços, pois garante que o valor do produto cobrirá os custos e estará dentro da média praticada no segmento.

A margem de lucro bruta é dada pela fórmula:

Margem bruta = Lucro bruto / Receita líquida x 100

Por isso, é importante calcular também a margem líquida:

Margem líquida = Lucro líquido / Receita líquida x 100

6. Margem de contribuição (margem bruta)

A margem de contribuição é o ganho bruto sobre as vendas. Em outras palavras, é o que sobra para a empresa depois de pagar o custo de produção e os impostos sobre os produtos e serviços.

O indicador aponta se a receita da empresa é suficiente para pagar os custos e as despesas fixas e, ainda assim, lucrar.

Margem de contribuição = Faturamento – (Custos relacionados à produção + Despesas relacionadas à produção)

7. Liquidez corrente

É o indicador que revela a capacidade da empresa de arcar com suas obrigações em curto prazo.

8. EBITDA

Derivado da expressão inglesa Earnings before interest, taxes, depreciation and amortization, em português, “Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização”, o EBITDA indica o potencial da empresa em gerar recursos sem levar em conta os descontos financeiros e impostos.

É um indicador útil para você avaliar a competitividade e eficiência da gestão.

EBITDA = Lucro operacional + depreciação + amortização

9. Lucratividade

Como o nome sugere, esse número indica o quanto uma empresa realmente ganhou em relação a tudo o que recebeu. A lucratividade aponta a relação entre o valor do lucro líquido e o valor das vendas, em percentual.

Lucratividade = Lucro líquido / Receita líquida x 100

10. Rentabilidade

Diferente da lucratividade, a rentabilidade compara seus ganhos aos investimentos realizados no negócio. Ou seja, indica o quanto a loja é capaz de gerar retorno a partir do capital investido em determinados ativos, por meio da seguinte fórmula:

Rentabilidade = Lucro líquido / Investimento x 100

11. ROI

O Retorno sobre Investimento (ROI) mostra o quanto a empresa ganha em rendimentos financeiros a partir de qualquer investimento realizado.

A partir do ROI, a empresa identifica qual foi o ganho (ou perda) obtido para cobrir os custos envolvidos na aplicação dos recursos e ainda ter retorno financeiro.

ROI = (Ganho obtido – Valor do investimento) / Valor do investimento x 100

12. Ticket médio

É indicador financeiro da área comercial que mostra quanto a empresa está faturando por cliente. A fórmula é simples:

Ticket médio = Faturamento total / Número de vendas do período

13. Giro de estoque

O indicador revela a velocidade com a qual o inventário foi renovado em um determinado período ou qual é o tempo médio de permanência de um produto antes da venda.

Para fazer o cálculo, basta usar a fórmula:

Giro de estoque = Quantidade de produtos vendidos / Total de produtos no estoque

Se o resultado for menor do que 1, indica que, ao final do período, sobraram produtos não vendidos no estoque. Se maior do que 1, todos os itens foram renovados pelo menos uma vez no período avaliado.

Como a tecnologia pode ajudar a empresa a ter uma boa gestão financeira?

Como vimos até aqui, são muitos os processos e indicadores que fazem parte da gestão financeira para e-commerce. Por isso, para garantir a correta captação e aplicação dos recursos e potencializar a lucratividade do negócio, o gestor deve priorizar o controle e a gestão adequada das finanças da sua loja virtual.

Para facilitar esse processo, é possível contar com soluções que se baseiam na automatização de tarefas e na centralização de dados.

Um sistema de gestão para e-commerce completo, por exemplo, permite que todos os processos do seu negócio sejam controlados em uma única plataforma, simplificando também a gestão financeira da loja virtual. A ferramenta entrega informações atualizadas, além de gerar relatórios e facilitar o acompanhamento do fluxo de caixa.

Nesse sentido, um ERP para e-commerce é uma solução de gestão completa que permite o fácil acesso a dados integrados da sua loja virtual. Isso porque a tecnologia conecta as atividades de todos os setores, incluindo logística, finanças, estoque e vendas.

Com as informações acessíveis no sistema, o gestor consegue fazer avaliações sobre o desempenho do e-commerce e identificar ações estratégicas para reduzir custos e aumentar a lucratividade do negócio.

Além disso, um sistema de gestão para e-commerce também melhora o fluxo das informações, reduz os retrabalhos e elimina o problema da duplicidade e inconsistência nas informações. Tudo isso impacta não apenas na gestão fiscal e financeira da loja, mas também no seu potencial competitivo e na sua eficiência operacional.

É certo: usar um ERP para e-commerce na gestão do seu negócio irá levá-lo para outro patamar.

Como o seu objetivo é fortalecer o crescimento da sua loja, vale destacar que a Curva ABC também pode ajudar. Saiba como no artigo sobre o tema.