30 de junho de 2021
Redação Alternativa

5-dicas-de-seguranca-de-dados-no-e-commerce---Alternativa-Sistemas
Ter hoje um e-commerce deixou de ser tão complicado como era há alguns anos.
A possibilidade de integração com um ERP, por exemplo, trazendo muito mais inteligência ao negócio, também possibilita a automatização de diversas funções. Já a grande questão é como manter a segurança de dados no e-commerce.

Violações, roubos de dados e até o sequestro do website podem abalar a confiança do consumidor e até significar o fim da operação. Isso é a última coisa que você deseja para o seu negócio, não é mesmo?

Então não deixe de conferir, neste post, 5 dicas de prevenção contra ameaças na segurança de dados no e-commerce.   

O cenário de segurança de dados no e-commerce

Os sites de comércio eletrônico sempre serão um bom alvo para ataques cibernéticos. Para os cibercriminosos, eles são um ‘diamante bruto’ composto por dados pessoais e financeiros. E para empresas de todos os tamanhos, o custo de uma violação, tanto na perda de dados quanto na confiança do cliente, pode ser extremamente prejudicial – ainda mais depois que a Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD – entrou em vigor.

Aqui no País, os ataques a e-commerces cresceram incríveis 83,7% no primeiro trimestre de 2021, em comparação ao mesmo período do ano passado. A informação é da ClearSale, especializada em segurança digital

Se as mais de 600 mil tentativas de fraude tivessem sido bem-sucedidas, a quantia perdida teria sido de R$ 679,2 milhões, um aumento de 105,7% em relação aos R$ 330 milhões do ano passado. 

Os proprietários de empresas de comércio eletrônico estão muito cientes dessas questões e estão aumentando suas medidas de segurança. O relatório do VMWare Carbon Black 2020 Cybersecurity Outlook descobriu que 77% das empresas pesquisadas compraram novos produtos de segurança no ano passado e 69% aumentaram a equipe de segurança. 

A solução para mitigar riscos e prejuízos é estar sempre à frente, conhecendo e colocando em prática ações recomendadas.

1- Criptografia de dados como certificação SSL

A Secure Sockets Layer [SSL] é uma tecnologia de segurança padrão que estabelece um link criptografado entre um servidor da web e um navegador. Esta certificação garante que todos os dados passados ​​entre o servidor da web e os navegadores permaneçam privados e integrais. 

Os certificados SSLs são de vital importância para as transações de comércio eletrônico, ajudando a garantir que informações pessoais e financeiras confidenciais sejam protegidas durante todo o processo de compra, ao mesmo tempo que constrói a confiança da sua loja online e dá aos compradores mais tranquilidade.

Iniciativas de código aberto sem fins lucrativos como o Let’s Encrypt oferecem certificados gratuitos. Portanto, não há desculpa para não conseguir um. E não deixe o seu certificado SSL expirar.

O protocolo HTTP sobre SSL é conhecido como HTTPS e oferece mais segurança de dados no e-commerce. No entanto, um número surpreendente de sites ainda não oferece suporte ao HTTPS, fundamental para proteger seus clientes e sua empresa de ataques e falsificação de identidade.

As vantagens de usar HTTPS vão além da segurança e confiabilidade. O Google oferece aos sites HTTPS uma classificação de pesquisa mais alta, levando a mais visitantes. Por outro lado, o Google também rotula sites não criptografados como “não seguros”.

Muitos compradores experientes evitarão um site considerado inseguro ou que não tenha a designação “HTTPS”. De acordo com o Relatório Global de Fraude e Identidade, da empresa Experian, 27% dos compradores abandonaram uma transação devido à falta de segurança visível. 

2- Selos de segurança

Uma pesquisa realizada pela Econsultancy mostrou que selos de segurança são decisivos na hora de um consumidor realizar uma compra. Para 48% dos participantes, os selos de segurança são responsáveis por passar confiança. 

E um selo não é apenas uma imagem no site. O seu objetivo é garantir que por trás de cada transação sejam utilizados processos e verificações que tragam mais segurança de dados no e-commerce. 

Como benefícios da sua utilização, além da confiança do consumidor, é possível citar vantagem competitiva e melhorar o PageRank do site, mostrando ao Google que o ambiente é seguro. 

Os selos de segurança mais utilizados no Brasil são:

3- Plataformas de scanners de vulnerabilidade

Felizmente, existem programas que irão monitorar seu site em busca de alterações feitas nos arquivos principais de sua plataforma de comércio eletrônico e evitar ataques de upload de arquivos em tempo hábil. 

No minuto em que um arquivo é alterado, um alerta é enviado aos administradores. Se a alteração for fraudulenta, alguns scanners de vulnerabilidade permitem até mesmo reverter a alteração com o clique de um botão.

Com este serviço de monitoramento externo de sites, você (não seus clientes!) é o primeiro a saber sobre um problema no e-commerce. Assim, é possível notificar rapidamente os clientes sobre esse problema temporário, prosseguir com a investigação e corrigi-lo. 

Além da análise em tempo real dos eventos de segurança, esse tipo de ferramenta também monitora o sistema de arquivos, relatando modificações, bem como alterações nas permissões. Isso significa que mesmo que uma pessoa mal-intencionada tenha modificado os arquivos, você notará imediatamente – e corrigirá o problema antes que ele aconteça.

4- Gateways de pagamento

A melhor maneira de manter a segurança de dados no e-commerce e não correr o risco de perder informações sensíveis é não ter nada em seu banco de dados! Não colete ou guarde nenhum dado privado de seus clientes em seu site, a menos que seja absolutamente necessário.

Para pagamentos, use uma ferramenta criptografada de verificação de terceiros para realizar o processamento desses pagamentos – este é um procedimento padrão para sites de comércio eletrônico. 

A detecção de roubo de identidade também é um ótimo recurso a ser procurado. Alguns processadores de pagamento fornecem proteção contra roubo de identidade como parte de seu contrato de serviço.

Os gateways de pagamento mais populares são completamente seguros e não são conhecidos por vazar dados confidenciais do usuário. Escolha uma plataforma de pagamento compatível com seu host e plataforma de comércio eletrônico.

5- Senhas fortes 

De acordo com o Relatório de investigações de violação de dados da Verizon, realizado em 2020, 37% das violações de roubo de credenciais usaram credenciais roubadas ou fracas.

Uma maneira dos cibercriminosos conseguirem entrar no seu site é realizando um ataque de força bruta, que basicamente começa a colocar combinações de letras no login do seu site, na esperança de ter sorte e quebrar a sua senha. 

Usar senhas longas e aleatórias torna o sucesso desse tipo de ataque muito menos provável. Portanto, faça com que todos os que lidam com o site usem senhas fortes, com uma combinação de letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. Outra opção é usar geradores online de senhas complexas. Também faça com que as pessoas alterem suas senhas a cada 6 meses, se não com mais frequência.

Garantir a segurança de dados no e-commerce é fundamental para manter não apenas a confiança, mas também uma percepção positiva por parte de instituições de classificação de sites, parceiros, fornecedores de produtos e, claro, do consumidor. 

E, por falar em clientes, será que a sua empresa está preparada para o consumidor digital? Descubra a resposta agora mesmo!