27 de setembro de 2016
Redação Alternativa

Tendencias do direito para o seu ecommerce - Alternativa Sistemas

Quando você monta uma empresa obviamente precisa da ajuda de algum advogado para deixar seu negócio regulamentado e pronto para funcionar de acordo com a lei, mas sabia que manter vínculos com o seu advogado pode ser mais lucrativo do que esperar o problema aparecer?

Isso porque hoje os escritórios de advocacia tendem a trabalhar de forma preventiva: é melhor que a empresa mantenha um respaldo jurídico sobre os seus processos, do que esperar os problemas virarem ações- demoradas e caras. Essa foi a dica dada por Rogério David Carneiro, do David & Athayde Advogados, no Fórum e-commerce Brasil 2016.

Essa sugestão foi reafirmada por Marcio Cots, do Cots Advogados, em sua palestra sobre “Abuso de reclamações por parte dos clientes do e-commerce” que aconteceu no dia 26 de julho. Durante a sua fala, Cots frisou a importância da regulamentação dos comércios virtuais e chamou a atenção para o comportamento prejudicial de alguns clientes.

Devido à amplitude e sensação de anonimato do espaço virtual, alguns clientes podem agir de maneira abusiva ao reclamar de uma loja, usando redes sociais para prejudicar a imagem da empresa. Cots apontou como as mídias sociais muitas vezes são mais positivas ao cliente do que a empresa nesses casos, por isso é essencial que as lojas tomem alguns cuidados.

Nesse sentido ter um respaldo jurídico do que é cabível ou não ao consumidor reclamar é um diferencial. Por exemplo, se um cliente fizer uma reclamação de sua loja utilizando palavreado ofensivo, seja à empresa ou algum funcionário da mesma, o caso pode até se tornar um processo contra o cliente.

Da mesma maneira, os advogados podem ajudar a sua empresa a formular um bom “Termo de uso” ao seu e-commerce, o qual esteja respaldado pela lei. Isso evita que sua empresa tenha problemas com a política de privacidade da loja.

Em todo caso, é importante tomar algumas precauções em sua loja virtual:

  • Defina quais são os canais oficiais de sua empresa para evitar fraudes e reclamações de clientes;
  • Treine os seus atendentes para conversar com os clientes: criar um padrão de atendimento evitar dores de cabeça;
  • Tenha consciência de que a afirmação “o cliente sempre tem razão” é uma falácia, portanto, saiba quais são os direitos e deveres tanto de sua empresa quanto de seus clientes;
  • Realize o marketing de forma consciente do ponto de vista jurídico: isso evita problemas com campanhas e preserva a imagem da marca;
  • Evite discutir assuntos que envolvam a moralidade, política ou crenças nas redes sociais de sua empresa, pois são temas polêmicos que podem gerar discussões fora de controle;
  • Lembre-se que a liberdade de pensamento não permite que seus funcionários ou clientes possam falar de maneira ofensiva.

Seguindo esses pequenos passos seu e-commerce tem amparo do ponto de vista jurídico e pode evitar problemas- e gastos- desnecessários.