5 de dezembro de 2017
Redação Alternativa

ELAS_inTech-aumentando-a-inclusao-da-mulher-no-campo-da-tecnologia---Alternativa-Sistemas

O dia 19 de novembro é o Dia Internacional da Mulher Empreendedora e essa foi a data escolhida para o nascimento do ELAS_inTech, um Coletivo Colaborativo que já vem movimentando o ecossistema da tecnologia brasileiro. O objeto central do coletivo é a promoção da real inclusão das mulheres na área de tecnologia e seu primeiro evento vai acontecer no dia 8 de dezembro, em São Paulo, com transmissão online para todo o país.
O movimento foi idealizado por Clarissa Luz – advogada especialista em direito digital -, Amanda Lima – advogada e consultora em Bitcoins- e Erik Nybo – advogado especialista em startups. Clarissa revela que com menos de uma semana de funcionamento o coletivo já contava com a adesão de mais de 90 mulheres, sendo que “a ideia que surgiu há menos de um mês através de um grupo de whatsapp já caminha para a associação formal e colaborativa das integrantes”.

Apesar de Nybo ter ajudado na idealização do projeto, hoje o agitado grupo no whatsapp que fundou o ELAS_inTech só conta com a participação de mulheres das mais diversas partes do Brasil e diferentes campos de atuação referentes à tecnologia.

A motivação para a criação do coletivo foi a evidente desigualdade de oportunidades e até mesmo estímulos para a real e efetiva atuação das mulheres nas carreiras que envolvem tecnologia. Clarissa Luz conta que trabalhou em “grandes escritórios do Brasil durante quase 14 anos e na maioria deles via que existia muito machismo, inclusive por parte das mulheres”.

Esse ambiente machista rodeia a realidade de mulheres nos mais diversos campos de atuação. Em conversa recente com Alana Reis – analista de produtos do Itaú – e Simone Vitor – médica do núcleo de Estratégia de Saúde da Família na UBS Parque Fernanda – levantamos a questão da mulher no mercado de trabalho. Com nossas trocas histórias e experiências ficou evidente como as atitudes machistas fazem parte da realidade feminina no mercado, muitas vezes mitigando as chances de crescimento na carreira.

Clarissa complementa esse quadro contando que assistiu a situações absurdas como “mulheres sendo demitidas porque ficaram grávidas e isso traria um ônus para o escritório; mulheres não sendo contratadas porque estavam com um relacionamento já há um tempo e poderiam ter planos de engravidar”. Situações que infelizmente são bem comuns para as mulheres, mas que parecem não serem levadas em consideração na contratação ou crescimento de carreira de um homem.

E é com o objetivo de quebrar com essa cultura sexista dentro do mercado da tecnologia que o Elas_inTech busca atuar, de acordo com Clarissa, as três metas principais do coletivo são:

  • o aumento do número de palestrantes mulheres em eventos da área de tecnologia;
  • o estímulo a mentorias não apenas motivacionais, mas que de fato e com técnica ajudem outras mulheres a empreender e conseguir desenvolver seus talentos;
  • a promoção de parcerias com empresas e escritórios para que haja a efetiva contratação de mulheres na área de tecnologia.

Para alcançar esses objetivos o ELAS_inTech é composto por mulheres que atuam nos mais diversos campos que envolvem a tecnologia, como empresárias, programadoras, designers, webdesigners, fundadoras de startups, desenvolvedoras, advogadas, jornalistas e muito mais, todas unidas em um ambiente de colaboração: seja na troca de informações e experiências, como também na efetiva troca de serviços e contratações.

O coletivo vai inaugurar seus eventos no dia 8 de dezembro, no Bucc Workspaces em São Paulo e será transmitido online para quem quiser acessar o seu conteúdo. É possível ter acesso à programação e aos tickets gratuitos nos seguintes links:

Informações e Programação

https://www.facebook.com/events/1519941831431508/

Tickets

https://www.eventbrite.com.br/e/elas-intech-coletivo-colaborativo-de-mulheres-na-tecnologia-tickets-40250360913?aff=efbevent