25 de julho de 2016
Redação Alternativa

Mcommerce um novo mercado em expansçao

As mudanças tecnológicas trazidas com a Era Informacional impactam o nosso cotidiano até hoje. Um exemplo disso é a modificação na maneira como nos comunicamos com o mundo a nossa volta e como essas transformações comunicacionais mudaram nossa forma de realizar as atividades mais simples do dia a dia, como estudar ou fazer compras.

Essas transformações de hábito estão sendo adaptadas ao mercado, de modo que os empresárias/os devem estar sempre atentos às tendências e às oportunidades trazidas com os novos costumes. Nesse contexto, surge o m-commerce, o comércio dentro dos dispositivos móveis.

No m-commerce as compras são realizadas através de aparelhos móveis como smartphones e tablets, gerando um novo espaço para o empreendedor expandir a sua empresa e ampliar o seu mercado consumidor. As empresas podem optar pelo desenvolvimento de sites criados para mobile ou app a serem instalados no celular do consumidor.

Como ao mesmo tempo em que a instalação do app requer mais fidelidade do consumidor e por outro lado os aplicativos oferecem mais recursos e são mais interativos com o cliente, é usual as empresas oferecerem os dois formatos. Independente de como a empresa deseja atrair o consumidor, deve ter algumas ideias em mente ao desenvolver o site ou app para mobile:

  • Layout exclusivo para a versão mobile, com botões maiores e menos textos;
  • O layout deve ser claro, com rolagem e informações enxutas;
  • Checkout rápido, se no pc ou notebook é usual os consumidores economizarem tempo para realizar as atividades, imagine em um smartphone ou tablet;
  • As telas de dispositivos móveis são menores, então é necessário adaptar as imagens dos produtos e encurtar as descrições na hora de apresentá-los, portanto, criatividade e concisão devem andar lado a lado;

Seguindo essa estrutura a sua empresa ficará preparada para receber os consumidores no m-commerce. Mas as dicas não param por aí! Isso porque junto a um desenvolvimento estrutural estratégico deve surgir um marketing bem direcionado e certeiro.

Por isso o m-commerce é muito associado às redes sociais, da mesma maneira que grandes varejistas usam a televisão como a sua principal plataforma de publicidade, o m-commerce deve voltar suas campanhas para as redes sociais. São em locais como Facebook, Twitter e Instagram que é mais fácil captar os clientes do comércio mobile.

Esses locais possuem a rapidez e praticidade que este tipo de cliente procura, pois é muito provável que o seu cliente esteja visualizando a sua timeline pessoal no Facebook e se sinta instigado a clicar em uma propaganda que surgir no meio, por exemplo, do que ir procurar a sua marca de maneira espontânea.

Portanto, para os empreendedores/as que procuram um novo espaço para apresentar os seus produtos e desejam atingir o seu público de forma mais interativa e dinâmica o m-commerce é uma ótima opção e que vem trazendo bons resultados dentro e fora do Brasil.

Quem escreve - Larissa Lotufo - Editora e Corretora de Texto na Alternativa Sistemas



30 de maio de 2016
Redação Alternativa

Blog Alternativa Sistemas - porque inserir minha empresa em marketplaces?

As lojas virtuais são a tendência do momento e estão em alta expansão no Brasil e no mundo. Se antes ter um e-commerce era um diferencial para o lojista, hoje observamos que em alguns setores já há uma sobrecarga de lojas que oferecem o serviço com um preço competitivo. Essa realidade pode dificultar os pequenos e médios empreendedores na hora de viabilizar as suas vendas, mas diferente do mundo analógico, o ambiente virtual tem uma solução para esse problema: os Marketplaces.

A ideia não é nova, mas só recentemente ganhou a força necessária para despontar como uma estratégia interessante de negócio. Para quem não está familiarizado com o conceito, marketplaces são grandes lojas online que abrem espaço para lojas menores exibirem seus produtos dentro de seu catálogo.

De forma resumida: os marketplaces abrem espaço em sua vitrine virtual para que outras lojas exibam seus produtos, assim o catálogo das empresas grandes aumenta substancialmente e as empresas menores ganham visibilidade no mercado através de um baixo investimento. No Brasil, o Submarino.com, Extra.com, Mercado Livre e Americanas.com são alguns exemplos de marketplaces, já no cenário internacional temos a Amazon e o Ebay como exemplos significativos.

Essa parceria é fácil de ser conseguida, mas é dependente da plataforma que a empresa escolheu para montar o seu e-commerce. No caso dos clientes Alternativa Sistemas o ERP Master torna o processo simples e transparente. A única exigência para que a parceria seja estabelecida é que a empresa menor fique responsável por tornar os produtos atraentes por meio de preços competitivos e boas descrições de produtos, além de pagar uma taxa ao Marketplace escolhido.

Como é possível notar, são inúmeros os motivos de você afiliar sua loja ao um marketplace:

  • Baixo investimento;
  • Aumento da visibilidade da empresa;
  • Facilidade de adesão;
  • Possibilidade de encontrar novos perfis de consumidores;
  • Expansão nas vendas.

Ficou curioso sobre o serviço? Fale com a central de atendimento da Alternativa Sistemas e tire suas dúvidas com nossos atendentes!

Alternativa Sistemas, crescendo hoje e sempre junto com você!

Quem escreve - Larissa Lotufo - Editora e Corretora de Texto na Alternativa Sistemas



2 de maio de 2016
Redação Alternativa

Img Destaque - Coluna Larissa Lotufo - Devo trazer minha empresa para as redes sociais

Trabalhar com marketing hoje envolve muito mais do que uma boa campanha ou propaganda de lançamento. É um trabalho diário que requer constante atualização da empresa frente aos acontecimentos que envolvam seus clientes. Isso acontece devido ao uso cada vez maior das redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram entre outros.

Embora seja obrigatório para as empresas estarem inseridas nessa realidade, vale a pena analisar qual rede social trará mais retornos para o seu tipo de negócio, pois não vale a pena a sua marca estar em um espaço que o seu público alvo não frequenta: é só perda de tempo e dinheiro.

Portanto, antes de trazer sua empresa para as redes sociais, faça uma pesquisa de mercado para saber em quais locais os seus clientes estão interagindo e o que buscam nesses espaços. Não se esqueça de que é através das redes sociais que o cliente vai buscar um canal de aproximação com a empresa. Portanto, uma vez dentro de uma rede, a empresa deve manter atualização constante, seja de conteúdo ou de feedback aos clientes.

Antes de colocar a sua empresa em uma rede social responda às seguintes perguntas:

– Qual a faixa etária do meu público consumidor?

Consumidores jovens tendem a estar conectados a mais de uma rede ao mesmo tempo, enquanto os adultos ou idosos costumam escolher um canal pelo qual não só interagem com seus pares, como também buscam opinam de outros consumidores na hora de adquirir um produto.

– Como a minha marca deve ser apresentada na rede social?

O/a empresário/a deve criar uma identidade para o perfil de sua empresa nas redes sociais. Muitas empresas optam por criar um perfil mais amigável e descontraído nesses espaços, com o intuito de aproximar o cliente pelo interpessoal. Essa opção é bem aceita pelo público em grande parte das vezes, mas cabe à empresa se questionar se esse perfil combina com o produto que vende ou público que quer atingir.

– Qual conteúdo minha marca deve compartilhar?

Perfis de empresa tem que tomar um cuidado extra na hora de publicar uma campanha ou conteúdo em rede social, pois os compartilhamentos e a resposta do público é rápida. Com isso, deve haver uma séria pesquisa antes das publicações serem feitas, tendo atenção especial para que o conteúdo não seja ofensivo para nenhuma parcela da população. Nesse sentido vale a dica: evite postar conteúdos polêmicos como posicionamento político, provocações quanto ao resultado de algum jogo de futebol ou mesmo a criação de campanhas que só se dirijam a uma parcela restrita da população.

Respondidas essas perguntas é hora de trazer sua marca para as redes sociais escolhidas e manter um fluxo de interação constante com seus clientes, isso vai garantir que sua marca consiga visibilidade no mercado digital e alcance maiores índices de fidelização dos clientes, que poderão servir como porta-vozes positivos de sua marca.

Quem escreve - Larissa Lotufo - Editora e Corretora de Texto na Alternativa Sistemas