12 de fevereiro de 2019
Redação Alternativa

5-Desafios-dos-PMEs-no-e-commerce---Alternativa-Sistemas

As PMEs são responsáveis por 53,4% do PIB gerado no setor de comércio e mais de um quarto do PIB total do Brasil, totalizando cerca de 9 milhões de empresas espalhadas por todo o país, de acordo o IBGE. O Panorama dos Pequenos Negócios de 2018, estudo realizado pelo SEBRAE, pontua que as PMEs também são responsáveis por parte considerável dos negócios realizados no Estado de São Paulo:

Esses dados nos mostram a importância do estímulo ao desenvolvimento do PMEs para que a economia nacional possa se manter aquecida e para que os pequenos e médios empresários/as possam cada vez mais contribuir com o crescimento do país. E para compreender como esses empreendedores podem continuar se desenvolvendo se faz relevante conhecer os principais desafios enfrentados pelos PME.

 

a-carga-tributaria-brasileira---Alternativa-Sistemas

A CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA

A legislação brasileira é com certeza um dos maiores desafios que qualquer empreendedor enfrenta no país, já que o Brasil possui uma das maiores cargas tributárias do mundo. Em 2017, a representação da carga tributária subiu para 33,6% no PIB do Brasil, demonstrando o quão pesados são os tributos recolhidos no país. Mas nem só o tamanho da carga é o que assusta, isso porque a complexidade tributária brasileira também um grande problema enfrentado para quem quer empreender.

E mesmo quando há opções simplificadas – como o que acontece para quem é micro e pequeno empreendedor e têm acesso a um tratamento diferenciado através da Lei Complementar 123/2006 ou Lei Geral Geral da Micro e Pequena Empresa – ainda é possível apontar problemas que atrapalham o desenvolvimento das empresas menores.

Isso porque o Simples Nacional desconsidera muitos fatores da realidade do/a empresário/a, fazendo com que em alguns casos a opção pelo simples não seja a mais indicada. Ao mesmo tempo, quando a empresa cresce o suficiente para deixar de se encaixar dentro do teto de 3,6 milhões de faturamento do Simples Nacional não existe uma transição tributária dentro da legislação, ou seja, se as empresas que saem do Simples já precisam enfrentar uma carga muito mais complexa e superior a que estavam habituadas – em média 40% a mais de impostos do que estavam acostumados – o que pode trazer impactos enormes em toda a operação.

Neste sentido, é muito importante que os empreendedores recebam acompanhamento especializado – jurídico e contábil – desde a abertura da empresa, para que não enfrentem muitos problemas do ponto de vista dos encargos e possam se desenvolver de maneira sólida e segura. E pensando nisso há diversas empresas e escritórios oferecendo planos diferenciados para quem é PME, ainda há a opção das empresas juniores de direito, que costumam oferecer esse tipo de serviço a custos muito mais acessíveis.

 

A CADEIA LOGÍSTICA

O segundo maior desafio enfrentado pelo empreendedor do mercado virtual com certeza é a logística. Conforme aponta Leandro Marcato, fundador da Veromobili, “a questão logística é um dos maiores vilões do empreendedor brasileiro, já poucas transportadoras estão voltadas para trabalhar com entregas B2C e para agravar nesse ano tivemos mais de 10 dias de paralização o que causou um aumento de quase 50% no preço do frete e prejuízos incalculáveis”.

“a questão logística é um dos maiores vilões do empreendedor brasileiro, já poucas transportadoras estão voltadas para trabalhar com entregas B2C e para agravar nesse ano tivemos mais de 10 dias de paralização o que causou um aumento de quase 50% no preço do frete e prejuízos incalculáveis”

Leandro Marcato, Veromobili

Neste sentindo, é importante compreender que “não existe regra em estratégia de venda  para E-commerce, existem casos e casos, de acordo com o momento de cada empreendedor” conforme destaca Edilene Loiola, CEO da Sou Logística. Por isso é importante encontrar um bom parceiro que compreenda as necessidades de sua operação e consiga oferecer um serviço de logística sólido e acessível. A grande dica dada por Edilene é “terceirizar a parte operacional  – Ex: a logística com uma empresa full-commerce (fulfillment) para que eles façam toda a parte operação (off-line) do dia a dia e o lojista fique livre para focar mais em estratégias e possivelmente alavancar suas vendas”.

Leandro complementa essa ideia pontuando que “as empresas devem se preparar para ter embalagens cada vez mais racionalizadas, com menor volume e também bem protegidas para aguentar todos os despachos até chegar na casa do consumidor” e adotar essa estratégia como uma forma inteligente de lidar com a operação logística.

 

TRAZER O CONSUMIDOR PARA A SUA LOJA

O e-commerce é um mercado vasto e amplo, o que significa que a sua concorrência também é vasta e ampla. Por isso, outro grande desafio de quem está começando é chamar a atenção do consumidor para a sua empresa, já que muitas outras empresas maiores podem oferecer os mesmos produtos e serviços, com uma capacidade de divulgação muito maior.

Como destaca Nathalia Inada, co-fundadora da Fruta Imperfeita, “um dos principais desafios é trazer tráfego para a loja, ainda mais quando estamos no início que a rede ainda é pequena. É como se tivéssemos uma loja que fica na travessa da avenida principal”. Por isso é importante que o PME se preocupe em criar uma identidade sólida em sua loja desde o início.

“um dos principais desafios é trazer tráfego para a loja, ainda mais quando estamos no início que a rede ainda é pequena. É como se tivéssemos uma loja que fica na travessa da avenida principal”.

Nathalia Inada, Fruta Imperfeita

E isto inclui não somente cuidados com o marketing digital e o branding da marca, mas também oferecer um site seguro, bem organizado e completo que passe segurança e ofereça conforto ao consumidor. Nathalia dá a seguinte dica para quem está começando e quer manter a sua loja atrativa aos clientes: “nesse começo é importante trabalhar as redes sociais e gerar conteúdo para a marca. Você tem que estar presente, não é uma opção”.

 

ACOMPANHAR A INOVAÇÃO DO MERCADO

Da mesma forma que o mercado virtual é vasto, ele é dinâmico. Por isso, é preciso ter muito jogo de cintura e compreender que “no mundo virtual tudo é muito dinâmico, há sempre lançamentos de ferramentas novas por isso o site precisa estar sempre melhorando para entregar a melhor experiência para o usuário”, como afirma Nathalia Inada.

Neste sentido, escolher uma boa plataforma de e-commerce, assim como utilizar um ERP sólido e realmente integrado à sua operação é essencial para que a sua empresa consiga se manter atualizada e sempre acompanhe a inovação do mercado. E há muitas opções no mercado que oferecem uma ótima infraestrutura operacional à sua loja independente do tamanho do negócio a preços acessíveis, já que o mercado de fornecedores de solução também percebeu que é preciso trazer opções diferenciadas para alcançar o público PME.

 

MANTER O CONHECIMENTO EM DIA

A inexperiência aliada a falta de conhecimento de todos os assuntos relacionados a gestão de um negócio também um fator desafiante que os PME’s enfrentam no início da empresa. Isso porque nem todo mundo se planeja ou mesmo tem tempo para se especializar como gostaria antes de abrir a sua própria empresa.

E essa dificuldade advém, em grande parte, da amplitude processual que envolve a gestão de uma empresa. É difícil para o/a empreendedor/a ter conhecimentos que tão variados e das mais diversas áreas, como marketing, financeiro, tributário, logística, atendimento etc, sendo que em muitos casos é uma só pessoa pensando em tudo isso.

Diferente da realizada das grandes empresas, em que há pessoas responsáveis por esses diversos setores, no início todas essas frentes e decisões ficam a cargo de uma só pessoa. Neste sentindo, a organização, calma e busca de parcerias estratégicas são aspectos essenciais e que devem acompanhar a caminhada do/a empreendedor/a para o sucesso.